QUAL É O TIPO DE PAI QUE PROJETAMOS EM DEUS ?

Imagem

Vocês projetaram o papel de “pai” em Deus, e por esse motivo imaginam um Deus que
julga, recompensa ou pune, baseado em como Ele se sente em relação ao que fizeram. Mas
essa é uma visão simplista de Deus, baseada em sua mitologia. Não tem nada a ver com
Quem ELE É. Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer. 
João 15:15
Tendo assim criado todo um sistema de pensamento sobre Deus baseado na experiência
humana, em vez de nas verdades espirituais, vocês imaginam toda uma realidade a respeito
do amor.  É uma realidade baseada no medo, na idéia de um Deus temível e vingativo.
Seu Pensamento Responsável está errado, mas negá-lo seria rejeitar toda a sua teologia. E
apesar do fato de que a nova teologia que iria substituí-Ia seria realmente a sua salvação,
vocês não podem aceita-la, porque a idéia de um Deus que não deve ser temido, não julga e
não tem motivos para punir é maravilhosa demais para ser aceita dentro de sua crença
maior do que O Que Deus é.
Essa realidade do amor que evidencia o medo domina a sua experiência do amor; de fato,
permite criá-la. Porque vocês não só se vêem recebendo um amor que é condicional, como
também dando-o do mesmo modo. E mesmo quando recuam e impõem as suas condições,
uma parte de vocês sabe que não é isso que o amor realmente é. Ainda assim, parecem
incapazes de mudar o modo como o dispensam. Vocês aprenderam do modo mais difícil, e
dizem a si mesmos que serão condenados ao sofrimento se forem vulneráveis de novo. Mas
a verdade é que o serão se não forem vulneráveis.
[Devido aos seus próprios pensamentos (errôneos) a respeito do amor, vocês se
condenam a nunca experimentá-lo puramente. Por isso, também se condenam a não Me
conhecer como realmente sou. Enquanto não amarem puramente. Porque vocês não
conseguirão à DEUS para sempre, e chegará O MOMENTO Reconciliação.]
Todos os atos realizados pelos seres humanos se baseiam no amor ou no medo, não
simplesmente os que dizem respeito aos relacionamentos. As decisões que afetam os
negócios, a indústria, a política, a religião, a educação de seus jovens, os compromissos
sociais de suas nações, os objetivos econômicos de sua sociedade, as escolhas que
envolvem guerra, paz, ataque, defesa, agressão, submissão, as determinações de cobiçar
algo ou dar aos outros, guardar ou partilhar, unir ou dividir – todas as escolhas feitas por
livre vontade que já fizeram surgem de um dos dois únicos pensamentos possíveis que
existem: de amor ou medo.
O medo é a energia que restringe, paralisa, retrai, leva-os a fugir e esconder-se, e fere.
O amor é a energia que expande, move, revela, leva-os a ficar e partilhar, e cura.
O medo cobre os seus corpos de roupas, o amor lhes permite ficar nus. O medo os faz
segurar tudo o que têm, o amor dá tudo aos outros. O medo sufoca, o amor mostra afeição.
O medo oprime, o amor liberta. O medo irrita, o amor acalma. O medo critica, o amor
regenera.
Todos os pensamentos e atos e todas as palavras humanas se baseiam em uma dessas
emoções. Vocês não têm escolha em relação a isso, porque nada mais há a escolher. Mas
têm livre-arbítrio para decidir qual dessas escolher.
Vocês aprenderam a viver com medo. Ouviram falar sobre a sobrevivência do mais
hábil, a vitória do mais forte e o sucesso do mais esperto. E por isso tentam ser os mais
hábeis, os mais fortes e os mais espertos – de um modo ou outro – e caso se vejam como
algo menos do que isso em qualquer situação, temerão a perda, porque lhes disseram que
ser menos é ser perdedor.
E então é claro que escolhem a ação que o medo justifica, porque foi isso que
aprenderam. Contudo, DEUSnos ensina isso: quando escolherem a ação que o amor justifica,
farão mais do que sobreviver, vencer e ser bem-sucedidos. Experimentarão a glória
suprema de Quem Realmente São, e quem podem ser.
Para isso, devem deixar de lado os ensinamentos de seus mestres mundanos bem intencionados, mas mal-informados, e ouvir os ensinamentos daqueles cuja sabedoria vem
de outra fonte.
Há muitos mestres assim entre vocês, como sempre houve. Eu não os deixarei sem
pessoas que possam orientá-los, mostrar-lhes e ensinar-lhes essas verdades, e lembrá-los
delas. Contudo, o maior lembrete não vem de fora, mas da voz dentro de vocês. Esse é o
principal meio que Eu uso, porque é o mais acessível.
A voz interior é a mais alta com que Eu falo, porque é a mais perto de vocês. É a voz que
lhes diz se tudo o mais é verdadeiro ou falso, certo ou errado, bom ou ruim, segundo as,
suas definições. É o radar que determina o curso, governa’ o navio e indica o caminho, se
vocês deixarem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s