CELULAR

Eu sou Adão. Muito prazer!

Em minha vida todas as tentações foram exatamente como as de Adão, posto que eu seja Adão.

Jesus também enfrentou as mesmas tentações do Éden, posto que aqui seja o Éden. Sim! Um Éden desfigurado, complexificado, confuso, desajardinado, desertificado, invadido por síndromes, manipulado por homens e demônios, atacado pelo mundo invisível, assolado por espíritos perversos, e, sobretudo, um Éden cemitério da consciência.

Transformar pedra em pão é concupiscência da carne. Fazer um show no Pináculo do Templo é concupiscência dos olhos. Curvar-se no alto monte a fim de receber poder sobre todos os reinos do mundo, seria entregar-se à soberba da vida.

A diferença, entre tantas, é que no antigo Éden poder-se-ia comer de tudo, menos de uma árvore, a do Conhecimento. Hoje se come de tudo, menos de uma árvore, a da Vida, que é Jesus.

E mais: comemos tudo e não comemos nada, pois a Árvore que dá Vida, essa nós não gostamos de comer.

Adão ficou viciado nos gostos da morte!

Assim, a Árvore do Conhecimento hoje está plantada na mente e no coração de todo homem.

Ora, foi por esta razão que o mundo inteiro se tornou um jardim de drogados…

Sim! Adão se tornou o primeiro viciado do mundo, e, nós, seus descendentes, somos todos uns micróbios “fissurados” nas drogas da morte, todas oriundas da Árvore do Conhecimento, e não das ervas do jardim.

Assim, esqueça o Éden que não se pode mais visitar, posto que exista entre nós em estado de exacerbação que faz o Éden original ser apenas um convento no jardim.

O que se tem que fazer é enxergar o Éden de hoje, e que é feito do que fizemos a vida se tornar.

Desse modo, não fale mais mal de Adão e nem pergunte por que Deus criou o homem para ele pecar, pois, se esse é o caso, ajude seu problema filosófico e apenas se mate, e, assim, acabe com Adão; posto que Adão seja você.

Chega!…

Pare de conversa fiada…

Adão sou eu. Adão é você.

Se você se acha melhor do que ele, o 1º Adão, então, melhore Adão em você…; mais saiba: não será possível; posto que minha única saída seja me converter ao 2º Adão, que foi quem venceu como Homem o que homem algum jamais venceu.
Nele, que me chama a saber que Adão sou eu, a fim de que eu possa ver que somente serei salvo no 2º Adão, Jesus, que resistiu aquilo ao que eu me entrego,
Pr. Samuel Lemos

Anúncios

BOM DIA

A tendência natural da alma é viajar entre pólos, especialmente quando sua conexão com um deles começou como obrigação, convenção, comportamento moral ou mesmo como uma obrigatória rebeldia amoral.
Medo, obrigação, culpa e ódio são em geral as forças que mais pressionam a alma contra um de seus pólos, nesse caso, o pior deles.

Assim, presa como uma lagartixa por alguma força que a pressiona contra a parede do sentir, a alma ali fica, até se despregar por alguma razão(geralmente uma tragédia ou trauma), e, deixar-se pendular para o pólo oposto, e lá ficar por um tempo (com sorte), ou para sempre, como muitas vezes é o caso.
Outros vão sendo sacudidos de um pólo para o outro, e como são frágeis e reativos, vão indo e voltando sempre, cada vez mais cínicos, cada vez mais impermeáveis a qualquer coisa.

Alternâncias sistemáticas de pólos dolorosos ou desconfortáveis (como é sempre o caso) acabam por gerar cinismo, pois, ninguém aguenta mudar-se o tempo todo para o pólo oposto. Quando isto acontece, o equilíbrio nunca chega, pois, em tal caso, não se encontra equilíbrio, mas sim o cinismo como estabilidade.
Hoje o que se vê é a viagem Evangélico Coletiva para o pólo do cinismo.

Já se foi e voltou tantas vezes, que a maioria cansou…
É gente que não larga, mas que também não segura.
É gente que diz “amém” para tudo, mas que não faz nada.
É gente que confessa que crê, mas que por tal fé não vai a lugar nenhum…

Isto sem falar nos que foram tão traumatizados com tudo o que lhes sobreveio como engano e opressão religiosa, que, agora, mesmo quando encontram o Evangelho como Palavra e fé, tratam tudo como se tivessem, em razão do engano passado, ganhado um crédito que lhes faculta viver em descomprometida devoção e desinteressado engajamento.
Desse modo, dizem que agora sim; que a Graça agora os alcançou; que enfim ficaram libertos da opressão e do engano. Aleluia.

Entretanto… Se antes doaram e dizimaram por medo, hoje nada dão por acharem que se antes foram ‘enganados’, agora é a vez deles ‘sonegarem’…
Se antes se engajaram por pavor, hoje natural e justo trocarem qualquer “ministério” por pipoca com coisa nenhuma.
Se antes pregavam, ainda que de modo chato e sem sabedoria, hoje não confessam nada, nem sob tortura.

E mais: querem que tudo seja feito sem esforço e atitude; sem dinheiro e sem engajamento; sem ordem e sem objetivo.
Pr.samuel lemos (curta)
https://pastorsamuellemos.wordpress.com/
https://twitter.com/PrSamuelLemos1
https://horadeouvirjesus.wordpress.com/

Pr.SAMUEL LEMOS: Saiba o que causa a explosão de uma bateria de celular e como se prevenir

Pr.SAMUEL LEMOS: Saiba o que causa a explosão de uma bateria de celular e como se prevenir

Nos últimos anos, o celular tornou-se um aparelho que mantemos por perto quase 24 horas por dia. Mas muita gente se esquece de que, sendo um dispositivo eletrônico, ele pode oferecer riscos em certas circunstâncias, como é o caso de uma explosão da bateria. Apesar de ser algo relativamente incomum, acontece de vez em quando. Mas afinal, porque a bateria do celular pode explodir?
A explosão de um celular acontece quando há superaquecimento da bateria. Como o periférico é projetado para aguentar até 135ºC, quando passa dessa temperatura, ela pode causar uma explosão, ou pegar fogo. Isto pode acontecer em duas situações:
1. Quando o celular está carregando: cada bateria possui um dispositivo de segurança que regula a quantidade de corrente elétrica que pode circular por ela. Se o dispositivo falhar, pelo motivo que for, pode haver um excesso de energia que causa superaquecimento e, consequentemente, a possível explosão.
2. Durante o uso: neste caso, há uma falha no componente de segurança que separa os pólos negativo e positivo da bateria, causando um curto circuito. Pode ser causado por defeitos de fabricação, entrada de pó ou umidade. Esse curto-circuito gera calor em excesso, derretendo o invólucro de plástico e deixando o ar entrar. O contato do ar com as substâncias da bateria faz o material entrar em combustão, chegando a até 800ºC, o que pode causar sérias queimaduras nas vítimas. E agora, como evitar?
Compre de marcas confiáveis

Alguns casos de explosão da bateria são causados por defeitos de fabricação. Por isso, diminua a chance de um acidente ocorrer escolhendo uma marca confiável e com um bom histórico de suporte ao consumidor.
Use somente acessórios originais

Acessórios “piratas” não passam pelos mesmos teste de qualidade e segurança que os originais, e não são totalmente confiáveis. Um carregador que não é original pode causar diferenças de tensão elétrica e levar a defeitos perigosos na bateria, além da diminuição da vida útil.
Se precisar trocar a bateria, opte sempre pelo modelo indicado pelo fabricante, que oferece mais segurança e possui garantia de fábrica. Em muitos casos, o barato pode sair caro.
Não exponha o celular ao calor

Evite andar muito tempo com o celular no bolso, principalmente se usar as famosas “meias de celular” feitas de tecido. Procure também não deixá-lo exposto ao sol, no painel do carro, perto do fogão ou microondas.
Evite a umidade

A umidade é uma grande inimiga da sua bateria. Evite levar o celular para o banheiro durante o banho, por exemplo, ou deixar o aparelho parado na praia ou próximo de alguma piscina.
Tempo certo na tomada

Procure desconectar o celular da tomada assim que ele der o aviso de bateria carregada. Deixá-lo ligado à corrente por muito tempo pode diminuir a vida útil e levar a defeitos posteriores.
Com cuidados básicos e seguindo essas dicas, você pode usar o seu aparelho livre de preocupações.