Portable Document Format

UM DIA BOM

BOM DIA !!!
Todo o mundo quer ter o prazer de viver um dia bom, mas poucos sabem o que realmente é um dia bom, assim como não têm idéia do que é necessário para fazer um dia se tornar bom. Menos pessoas ainda conseguem entender como o dia de hoje pode influenciar o dia de amanhã.
Por que isso acontece? A raiz do problema é que a maioria das pessoas possui um conceito equivocado do que realmente é ter um dia bom. Se nossa visão a respeito de dia bom for errônea, também será errônea nossa maneira de encarar o dia. E assim, o dia termina em cacos.
“Viver é difícil”. “A maioria das pessoas não enxerga plenamente esta verdade, a de que viver é difícil. Ao invés disso, se lamentam incessantemente, algumas mais, outras menos. Lamentam sobre a enormidade de seus problemas, seus fardos e suas dificuldades, como se a vida geralmente fosse fácil, ou como se devesse sempre ser fácil”.
Às vezes admitimos que qualquer coisa difícil se torna impossível
simplesmente porque preferimos acreditar que a vida deveria ser fácil o tempo todo. Quando o sucesso que esperamos ter no dia nos escapa, somos tentados a jogar a toalha e a acreditar que ele é inalcançável.
É aí que passamos a ser críticos em relação ao dia que tivemos.
Pense nisso.

 

Anúncios

A GERAÇÃO EVANGÉLICA DO “ESTÁ TUDO BEM”, E A NEGAÇÃO DO SOFRIMENTO DA ALMA.

download (56)Hoje em dia imperam nas ministrações dominicais das igrejas, ideias de positivismo, de “smiles”, de “likes”, de sorrisos. Implicitamente corre a ideia de que o importante é nos sentirmos bem.

Gostaria que refletissemos sobre as implicações psicológicas desta mensagem implícita e explicita de obrigatoriedade de “estarmos bem”.

Naturalmente, qualquer pessoa gosta de se sentir bem. Mas esta sensação deverá ser natural, ou seja, deverá ser de acordo com os níveis de realização de cada um. Se uma pessoa se sente realizada ou sente que está no caminho certo em áreas como o eixo amoroso, profissional, familiar, de amizades e existêncial (o sentido que dá à sua vida) então é natural que se sinta bem.

A vida é dinâmica e existem sempre áreas em que sentimos maior ou menor realização. O eixo amoroso pode estar fantástico e o profissional péssimo e tal poderá não impedir que uma pessoa se sinta relativamente bem.

Mas existem situações em que o “estou bem” ou o “sorriso” não fazem qualquer sentido, nem têm que fazer. O problema está na dificuldade em vivenciar estas emoções. Parece que esta sociedade evangélica defensora do ultrapositivismo não deixa espaço para a partilha e a intimidade da expressão de estados de tristeza, zanga ou dor interior profunda. E esta é uma questão séria e que deverá merecer a nossa reflexão.

Quantas vezes é que só no sossego, no conforto e no segredo do nosso quarto é que somos nós, na autenticidade da nossa expressão emocional, sobretudo em períodos de dor e de ansiedade?

Muitas vezes, a censura a emoções como a tristeza ou a zanga começa desde a mais tenra infância em que estas emoções não são devidamente legitimadas e são impostos níveis de hétero-censura pelos pais pastores, lideres e educadores. A geração evangélica do “está tudo bem” aprende que não deverá estar triste ou zangada e não aprende verdadeiramente a sentir e a gerir estas emoções. Estas não aprendizagens muitas vezes têm pesados custos ao longo da vida justamente em períodos em que deveria existir a legitimidade para dizer “estou mal”.

As pessoas vão aprendendo a não gerir interiormente a tristeza e a zanga e depois é lançada numa sociedade onde a partilha da tristeza é, de certo modo, censurada…

Este é verdadeiramente um dos dramas da sociedade atual. Parece que não há espaço e compreensão para um olhar triste e vazio ou a ausência de um sorriso. Todas estas manifestações emocionais criam incomodo e embaraço e são olhadas de lado.

Se alguém se sente triste ou zangado, sorrir e fingir que está tudo bem só levará a uma maior acumulação de tensão.
Outra das consequências desta censura colectiva é o de a própria pessoa entrar em processos de relativização e de auto-ilusão perante o seu mesmo sofrimento “Se os outros dizem que está tudo bem e que eu tenho é de sorrir, então até não estou assim tão mal”.

A negação do sofrimento. O não dizer “estou mal”, o não ouvir as nossas emoções traz consequências…
O que acontece quando não ouvimos as nossas emoções?

Se não ouvimos as nossas emoções, então poderemos correr o risco de perpetuar ciclos de mal estar físico e psicológico. O nosso corpo começará a “guinchar” com dores de cabeça, tensão acumulada nas costas, taquicardias, úlceras, sensações de vômitos e mal-estar abdominal entre muitos outros sinais que a sabedoria do nosso corpo usa para sinalizar a gravidade da situação.

O maior erro é ignorar estes sinais e fingir que “se está bem!”. Por vezes devemos dizer “estou mal” e perceber que o “smile” interior não está disponível. É a consciência do nosso sofrimento que conduzirá à procura da mudança.

Se o seu corpo dá sinais de que “você está mal” ou se anda zangado, ansioso ou triste continuamente então seja verdadeiro consigo mesmo e assuma que “está mal” procure ajuda !

Vale a pena pensar nisto!

 

CARTA ABERTA AOS JOVENS

44521_219519841512493_61770443_n - Cópia - CópiaCaro Jovem

Não há nada de antiquado no fato de procurar se comportar com dignidade nas tuas relações com o sexo oposto. O teu corpo não é um objeto, nem um qualquer mecanismo que você não possa controlar.
Numa relação, o afeto é muito mais importante do que o sexo. A falta de carinho leva a que as pessoas acabem por se tornar agressivas uma com a outra. Nunca te precipites. Os contatos sexuais não te farão mais próximo de quem julgas gostar.
É uma grande ilusão confundir-se atração física com amor. Deixa as experiências sexuais para quando você tiver uma relação verdadeiramente madura (CASAMENTO), ou podes ter a certeza de que, mais cedo ou mais tarde, tudo se desmoronará. Não coloques o prazer à frente do carinho e do respeito. Deixa que o tempo exerça a sua ação. Já experimentou comer um fruto ainda verde?
Fala-se muito de amor, quando, na maior parte dos casos, tudo não passa de aparência. Não antecipes experiências que só devem ser vividas quando houver respeito e ternura bastantes para tornarem sólida uma relação. De outra forma, apenas encontrarás o vazio.
A precipitação pode ter consequências sérias: uma gravidez não planeada, por exemplo. Interrompe-se a gravidez, você diz. E achas correto matar uma vida, sobretudo quando foi a tua irresponsabilidade que a criou?
Não te esqueças também das doenças transmissíveis por via sexual, e do enorme sofrimento que poderão causar. Você pode pensar que relações sexualmente protegidas serão a solução. Pois convence-te de que a solução consiste em te tornares interiormente adulto e responsável, e aprenderes a agir com retidão e dignidade.
O ser humano não é um animal irracional que atua impelido pelo cio. É um ser pensante e criativo, com capacidade de escolha e de decisão, e que tem o dever de refletir sobre os seus atos.
Os muitos filmes e novelas incessantemente despejados na cabeça das pessoas distorcem o sentido da conduta humana, induzindo à vulgaridade e à imitação de comportamentos grosseiros, quando não claramente anti-éticos.
Você desenvolver o teu espírito crítico, para não te limitares a ser mais uma ovelha de um imenso rebanho obtuso e amorfo, que se deixa conduzir por qualquer um.
Não esqueças que a vida é uma oportunidade demasiado preciosa para a desperdiçares com caprichos e fantasias. Procura a justiça e tenta contribuir para uma sociedade melhor.

Com o desejo sincero de que sejas feliz.
pastor: samuel lemos.

Pr. Samuel Lemos ministra em Colatina, ES. TREINAMENTO DE EDUCADORES SOCIAIS CRISTÃOS NO TRATAMENTO DE DEPENDENTES QUÍMICOS

Quero agradecer a igreja metodista central em colatina, ao pastor Marcílio, ao grupo Amor Exigente Despertar, e ao Ministério de Ação Social e Sociabilidade da Igreja Metodista Central em Colatina, pela calorosa recepção que me foi dispensada nesses dias. Que o SENHOR continue honrando todo vocês.

ImagemImagemImagemImagemImagemImagemÃO, PASTOR SAMUEL LEMOS, ImagemImagemImagemImagemImagemImagem

 

RELACIONAMENTO. VOCÊ E DEUS.

Imagem

Muita gente prefere acreditar que Deus se comunica de modos especiais, apenas com
pessoas especiais. Isso tira de muitas pessoas a responsabilidade de ouvir e ainda mais de
captar (o que é outra coisa) a mensagem de DEUS , permitindo-lhes aceitar a palavra de outras
para tudo. Elas não precisam ouvir à DEUS, porque concluíram que tais pessoas ouviram A VOS DE deus PRA ELAS.
Pois ouvindo o que outras pessoas acham que ouviram DEUS dizer, você não precisa
pensar.
Esse é o principal motivo pelo qual poucos consideram o relacionamento com DEUS em um
nível pessoal. Se você reconhecer que as está ouvindo diretamente a vos de DEUS, será responsável por interpretá-la. É muito mais fácil e seguro aceitar a interpretação das outras pessoas (até mesmo das que viveram há 2.000 anos) do que tentar interpretar a mensagem que você pode estar recebendo neste exato momento.
Ainda assim, eu o convido a participar de uma nova forma de comunicação com Deus.
Uma comunicação bidirecional. ELE É PAI. QUER TER INTIMIDADE CONTIGO.